História

Em 1946, com uma solene Missa celebrada na Capela de São José ás seis horas da manhã do dia 26 de Julho, Festa de Sant’Ana e São Joaquim, foi fundado o Seminário Diocesano Santo Cura d’Ars pelo então bispo Dom José de Medeiros Delgado, primeiro prelado da Diocese de Caicó. O propósito de instalar um seminário diocesano já constava na Bula de criação da Diocese de Caicó, E Dioecesibus, do Papa Pio XII no dia 25 de novembro de 1939.
Para dirigir o Seminário, Dom Delgado nomeou como primeiro reitor o recém-ordenado Padre Sinval Laurentino de Medeiros. No corrente ano de 1947, Dom Delgado entregou a responsabilidade aos Padres Lazaristas Holandeses (Congregação da Missão), ficando como reitor o holandês padre Geraldo Jacobs. O quadro docente do Seminário era formado pelos padres lazaristas e recém ordenados sacerdotes da Diocese. O Segundo bispo diocesano, Dom José Adelino Dantas (que fora reitor do Seminário São Pedro de Natal por quase 18 anos) continuou o trabalho iniciado pelo anterior bispo, acentuando um cuidadoso zelo pelas vocações sacerdotais no período que aqui residiu (1952-1958). No ano de 1960, os padres lazaristas despediram-se da direção do Seminário e da Diocese, ficando a critério do clero caicoense a direção.
Passados sete anos da saída dos padres lazaristas, no ano de 1967, o Seminário Santo Cura d’Ars interrompeu seu compromisso de formação sacerdotal, justificado pelo reduzido número de clérigos presentes na Diocese de Caicó, assim como um baixo número de seminaristas. A casa de formação ficou de portas fechadas até o ano de 1979, quando o então quarto bispo diocesano, Dom Heitor de Araújo Sales, decide reabri-la, no dia 4 de Agosto (dedicado ao patrono do Seminário, São João Maria Vianney), entretanto não mais nas instalações do complexo arquitetônico do Ginásio Diocesano Seridoense, mas na Residência Episcopal, que na época localizava-se à Praça Dr. José Augusto.
Neste segundo momento foram reitores: Dom Heitor de Araújo Sales (1979-1980); Padre Bruno de Souza Galvão (1981); Padre Raimundo Sérvulo da Silva (1982-1984); Padre Manoel Pedro Neto (1985-1986); Padre José Tadeu de Araújo (1987-1991); Padre Francisco de Assis Dantas de Lucena (1992-1997); Padre Alcivan Tadeus Gomes de Araújo (1998-1999); Padre Francisco de Assis Costa da Silva (1999-2002); Padre Rômulo Azevêdo da Silva (2002-2003); Padre Francisco de Assis Dantas de Lucena (2003-2007); Padre Alexsandro Araújo de Medeiros (2007-2010); Padre Fabiano Maurício Dantas (2010-2012); Padre Jerônimo Batista de Araújo (2012 - atual); Padre Rivaldo Pereira Dantas (2017-2018); Padre Allysson Bruno de Araújo Rufino (2016 - atual).
Segundos dados da Revista Comemorativa ao Jubilei de Ouro de Fundação do Seminário (1996), passaram pelo Seminário, até aquela data, 346 seminaristas, sendo ordenados apenas 27. Desses, 208 foram da primeira fase (1946-1966) e 138 da segunda fase (1979-1996). De 1997 até o ano de 2019, segundo infamações do livro de tombo do Seminário, 139 jovens passaram pela casa formativa, totalizando um número de 485 seminaristas que passaram na Diocese de Caicó.
Hoje, a Diocese de Caicó possui 20 seminaristas, sendo 5 do Seminário Menor (Ensino Médio); 4 do Propedêutico (em preparação para a Filosofia); 6 da Filosofia (na UERN) e 5 da Teologia (PUC-Minas/Belo Horizonte). A atual formação do Seminário Santo Cura d’Ars é dirigida pelo bispo diocesano, Dom Antônio Carlos Cruz Santos (sétimo bispo desta Diocese); Padre Alysson Bruno de Araújo Rufino (reitor da casa de formação em Caicó); Padre Jerônimo Batista de Araújo (reitor da casa de formação em Belo Horizonte); Padre Rivaldo Pereira Dantas (diretor espiritual); Padre Luiz Carlos Alves da Silva (diretor espiritual); Padre Emanuel Medeiros de Araújo (diretor espiritual); Padre Alcivan Tadeus Gomes de Araújo (diretor espiritual); Padre Edson Medeiros de Araújo (confessor) e Padre Manoel Pedro Neto (professor). Para melhor auxílio dos seminaristas a equipe de formação conta com a presença de atendimento psicológico periódico aos formandos.
O Seminário Diocesano Santo Cura d’Ars, rende graças a Deus pelos mais de 70 anos de árduo empenho em função da formação de bons padres para o nosso Seridó, assim como à contribuição de excelentes homens de bem para a sociedade deste torrão. Em seu brasão reluz o ideal deste ambiente formativo: In semine spes (esperança na semente). Diante disso, pedimos ao Senhor da Messe que envie bons operários para a sua vinha, e que do mesmo modo os auxilie no discernimento necessário para a construção de uma Igreja sempre a caminho.

Arthur Vinícius Silva de Medeiros.
Seminarista Propedêutico

PALAVRA DO BISPO

Dom Antônio Carlos Cruz Santos

Dom Antônio Carlos Cruz Santos

Bispo Diocesano de Caicó

FACEBOOK