História

A DIOCESE DE CAICÓ, DOM DELGADO E O GINÁSIO
Pe. João Medeiros Filho

A CRIAÇÃO DA DIOCESE

A primeira diocese brasileira, hoje com o título de primaz, é a de São Salvador (Bahia), criada em 25 de fevereiro de 1551 pelo Papa Júlio III, através da Bula “Super
specula militantes”. Dela foi desmembrada a prelazia de Olinda, constituída pelo Papa Paulo V com a Bula “Fasti nobis orbis”, de 15 de julho de 1614 e elevada à Sé
diocesana em 16 de novembro de 1676, pela Bula “Ad Sacram Beati Petri”, de autoriado Papa Inocêncio XI. Posteriormente, o Papa Urbano VIII, com a Bula “Romanus Pontifex”, datada de 6 de julho de 1624, a constituiu sufragânea da então Diocese de São Salvador da Bahia. Até 27 de abril de 1892 – quando foi erigida a circunscrição eclesiástica da Paraíba (nome antigo de João Pessoa), pela Bula “Ad Universas Orbis Ecclesias”, de Leão XIII – os estados do Rio Grande do Norte e da Paraíba pertenciam à circunscrição eclesiástica de Olinda.

O bispado de Natal foi criado em 29 de dezembro de 1909 por Pio X, com o documento pontifício “Apostolicam in singulis”, tendo sido dele desmembrada a diocese
de Santa Luzia de Mossoró, em 1934, pela Bula Papal “Pro Ecclesiarum Omnium” de Pio XI, em 28 de julho de 1934. Natal foi alçada à categoria de arquidiocese metropolitana por Pio XII, com a Bula “Arduum Onus”, datada de 16 de fevereiro de 1952. Dom Marcolino Esmeraldo de Souza Dantas, quarto prelado, tornou-se o primeiro arcebispo metropolitano da província eclesiástica de Natal.

A diocese de Caicó foi criada canonicamente em 25 de novembro de 1939, pelo Papa Pio XII, por meio da Bula Pontifícia “E dioecesibus” e desmembrado totalmente da diocese de Natal, hoje sede arquiepiscopal. Sete bispos já ocuparam o sólio episcopal caicoense, a saber:

Dom José de Medeiros Delgado, de 1941-1951;

Dom José Adelino Dantas.de 1952-1958;

Dom Manuel Tavares de Araújo, de 1959-1978;

Dom Heitor de Araújo Sales, 1978-1993;

Dom Jaime Vieira Rocha, de 1995-2005;

Dom Frei Manoel Delson Pedreira da Cruz, OFMCap; de 2006-2012

Dom Antônio Carlos Cruz Santos, MSC, a partir de 2014.

Os dois últimos pertencem a congregações religiosas (um frade capuchinho e o outro missionário do Sagrado Coração de Jesus), sendo os cinco primeiros sacerdotes
seculares. Com exceção de Dom José de Medeiros Delgado, oriundo da arquidiocese da Paraíba, quatro provieram do clero natalense. Dom Antônio Carlos Cruz Santos foi ordenado sacerdote, aos 12 de dezembro de 1992 e nomeado bispo de Caicó pelo Papa Francisco, em 12 de fevereiro de 2014. Recebeu a ordenação episcopal, no dia 10 de maio do mesmo ano, na cidade de São Gonçalo, no estado do Rio de Janeiro, tendo tomado posse como sétimo bispo diocesano de Caicó, catorze dias depois (24/05/2014).
A diocese de Sant´Ana, cuja sede episcopal é Caicó, foi instalada oficialmente, no dia 28 de julho de 1940. Dom Marcolino foi nomeado administrador apostólico até a 1 Ex-diretor espiritual, professor de cultura religiosa, filosofia e química do Colégio, no período de 1965- 1969. Pertenceu ao clero da diocese de Caicó até 15.09.2011. Doutor em Teologia e Comunicação. Membro da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras, Academia Mossoroense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte e do Conselho Estadual de Educação.
2Primeira parte do Artigo: “A DIOCESE DE CAICÓ, DOM DELGADO E O GINÁSIO” posse do seu primeiro bispo. Respondia pelo expediente diocesano padre Walfredo Dantas Gurgel, pároco de Sant´Ana e cura da Sé. Vale ressaltar que, ao se tornar diocese (compreendendo uma área territorial de 9.372 Km2 e uma população de cerca de 100.000 habitantes), Caicó contava apenas com oito paróquias em seu território, sediadas nos municípios de: Caicó, Acari, Jardim do Seridó, Serra Negra do Norte, Jucurutu, Currais Novos, Parelhas e Florânia. No ano de 1944, durante o pontificado de Dom Delgado, foi erigida a paróquia de Nossa Senhora dos Remédios, em Cruzeta. O segundo bispo diocesano, Dom Adelino, criou a paróquia de São João Batista, em 1956, na cidade de Cerro Corá. Dom Tavares desmembrou a paróquia de Caicó em mais duas: São José (na sede episcopal, ao lado do Colégio Diocesano) e Nossa Senhora dos Aflitos, em Jardim de Piranhas, aos 09 de novembro de 1966. Dom Heitor dividiu a freguesia de Currais Novos, erigindo a paróquia da Imaculada Conceição (Bairro JK). Dom Jaime criou dez paróquias: São José (Carnaúba dos Dantas), Nossa Senhora de Fátima (no Bairro Boa Passagem, em Caicó), Santa Cruz (Barra Nova, em Caicó), Divino Espírito Santo (Ouro Branco), São José (São José do Seridó), São Sebastião (Equador), Santo Estevão Diácono (no Bairro Castelo Branco, em Caicó), São Francisco de Assis (Lagoa Nova), São João Batista (São João do Sabugi) e São Vicente Ferrer (São Vicente). Dom Delson criou quatro paróquias, uma na cidade de Caicó, cujo orago é São Francisco de Assis (Bairro Paulo VI); Sant´Ana (Sant´Ana do Seridó), Nossa Senhora do Patrocínio, (na cidade de São Fernando) e São Severino Mártir, em Timbaúba dos Batistas. Dom Antônio Carlos, até o momento, constituiu a área pastoral autônoma de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (em Ipueira) e criou duas freguesias dedicadas a São Francisco de Assis, uma na cidade de Tenente Laurentino e outra em Currais Novos (no Bairro Parque Dourado). Até o presente, a diocese conta com trinta paróquias, distribuídas nos 23 municípios que compõem o Seridó. Dom Marcolino foi um grande incentivador da fundação das dioceses de
Mossoró, Caicó e Campina Grande. Tinha o sonho de transformar Natal em sede de arcebispado, o que de fato aconteceu, em 1952. Um dos requisitos para haver uma província eclesiástica é a existência de, no mínimo, duas dioceses sufragâneas e a sede arquiepiscopal. O Rio Grande do Norte já contava com Natal e Mossoró, enquanto sedes episcopais. A arquidiocese da Paraíba, além das duas dioceses potiguares, como sufragâneas, possuía também o bispado de Cajazeiras. Após Caicó se transformar em Sé episcopal, Dom Marcolino empenhou-se junto à Nunciatura Apostólica e ao arcebispo da Paraíba, Dom Moisés Sizenando Coelho, para a criação do bispado de Campina Grande. A eleição de Dom Delgado para Caicó foi motivo de muita alegria para o bispo natalense, pois além das qualidades do primeiro antístite seridoense, o mesmo havia sido pároco de Campina Grande e também teve grande empenho para a criação da diocese nessa cidade paraibana, o que ocorreu em 14 de maio de 1949, com o documento papal “Supremum Universi” de Pio XII.

DIOCESE DE CAICÓ

Histórico da Diocese

Quando a Região do Seridó começou a ser povoada pelo homem branco, no final do século XVII e início do século XVIII, toda a então Capitania do Rio Grande do Norte pertencia à então Diocese de Olinda em Pernambuco, até 27 de abril de 1892, quando foi criada a então Diocese da Paraíba, que abrangia também o Rio Grande do Norte. Em 29 de dezembro de 1909, foi criada a então Diocese de Natal, que compreendia todo o Estado do Rio Grande do Norte. A Diocese de Caicó foi criada em 25 de novembro de 1939 pela Bula “E DIOCESIBUS” do Papa Pio XII, desmembrada da então Diocese de Natal e instalada no dia 28 de julho de 1940; antes da Missa Solene da Festa de Sant’Ana.

PALAVRA DO BISPO

Dom Antônio Carlos Cruz Santos

AGENDA DIOCESANA

DomSegTerQuaQuiSexSab
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹maio 2019› »