Pastorais e Movimentos

CONGREGAÇÃO MARIANA NO BRASIL

As Congregações Marianas nasceram num ambiente caracterizado pela valorização do lugar de Maria na obra da salvação. A partir do século XII, com a multiplicação dos estudos mariológicos, seu papel passou a ter um lugar de destaque não só na espiritualidade cristã, mas, também, na literatura e nas artes. Para os jesuítas, a devoção mariana era e é vista como um caminho rápido e seguro para se chegar a Cristo; seu fundador, Inácio de Loyola, atribuía à Virgem Maria a própria conversão.

“As Congregações Marianas buscam levar seus membros a uma doação solene e irrevogável à Santíssima Virgem”.

As Congregações Marianas buscam levar seus membros a uma doação solene e irrevogável à Santíssima Virgem, reconhecendo-a como senhora e soberana, oferecendo-lhe todos os momentos da vida. Procuram aproximar-se dela para serem totalmente de Cristo. Afinal, ninguém como Maria soube imitar e agradar tanto a Jesus. Essa ideia de oferecimento e dom total a Maria pode levar algumas pessoas a se perguntarem: é lícito fazer isso? É conveniente tal entrega a Maria?

Oferecer-se a Maria, na linha do que pretendem as Congregações Marianas, é entregar-se totalmente a Deus, como ela o fez, conforme sabemos de sua resposta ao anjo Gabriel: “Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra” (Lc 1,38); é imitar o gesto do apóstolo e evangelista João que, no Calvário, tendo ouvido as palavras de Jesus – “Mulher, eis aí teu filho… Eis aí tua mãe” (Jo 19,26-27) – acolheu Maria em sua casa; é acolher Maria na própria vida; é aceitá-la como dom de Jesus, dado num momento muito especial, como foi o da Cruz; é reconhecer que somos seus filhos; é refugiar-se sob a sua proteção, vivendo a experiência de Jesus em Belém, no Egito, em Nazaré…; é renovar os votos batismais, respeitando, pois, a única mediação de Cristo.

Aquele que coloca sua vida sob o manto de Maria passa a conhecer melhor as características que marcaram seu jeito de ser: a disponibilidade (“Eis aqui a serva… Faça-se…”); o serviço (“Foi às pressas às montanhas, a uma cidade de Judá…”); a centralidade em Cristo (“Fazei o que ele vos disser”); a unidade com o Filho (“Junto à cruz de Jesus estavam de pé a sua mãe, a irmã…”); o apelo para trabalhar contra o pecado e suas causas, a favor da vida e a serviço da esperança; o empenho em favor dos necessitados; o trabalho para que cresça sempre mais o reino de Cristo, razão de ser da vida de Maria.

CONGREGAÇÃO MARIANA – DIOCESE DE CAICÓ
Assistente: Pe. Carlos Eduardo de Lira
Endereço: Praça João de Góes 23, Centro – 59.375-000 – Cruzeta/RN
Telefone: (84) 3473-2252
E-mail: [email protected]

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

PALAVRA DO BISPO

Dom Antônio Carlos Cruz Santos

AGENDA DIOCESANA

DomSegTerQuaQuiSexSab
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹jul 2019› »